Construção sustentável: como reduzir o impacto ambiental na edificação

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por isabella
em dezembro 15, 2023

A busca por soluções que minimizem o impacto ambiental tem se tornado imperativa em diversas esferas da sociedade contemporânea.

Na construção civil, onde o consumo de recursos naturais e a geração de resíduos desempenham um papel significativo, a adoção de práticas sustentáveis torna-se crucial.

O conceito de impacto ambiental transcende a mera menção retórica e emerge como uma chamada à ação, provocando reflexões sobre como podemos redefinir nossas abordagens na edificação para preservar o equilíbrio delicado do ecossistema.

A importância da construção sustentável

Diante das crescentes preocupações sobre o impacto ambiental e das mudanças climáticas que testemunhamos, a construção civil desponta como um setor-chave, intrinsecamente vinculado à preservação ou degradação do nosso ecossistema.

Neste cenário crítico, torna-se imperativo considerar a urgência de abordar práticas sustentáveis na construção civil.

A indústria, historicamente associada a um considerável custo ambiental, é desafiada a repensar seu papel e adotar medidas concretas para reduzir seu impacto, seja com cursos normas regulamentadoras, seja com prática cabíveis e devidamente aplicáveis.

Nossa atual situação ambiental é caracterizada por indicadores alarmantes: 

  • Altas emissões de gases de efeito estufa;
  • Degradação acelerada da biodiversidade;
  • Escassez de recursos naturais;
  • Impacto ambiental desenfreado.

A construção civil, tradicionalmente marcada por processos que consomem intensivamente materiais e energia, contribui significativamente para essa problemática. Contudo, é nesse cenário que a relevância de adotar práticas sustentáveis na edificação se destaca com clareza.

A necessidade de construir habitações, infraestruturas e espaços que respeitem os limites do meio ambiente tornou-se uma questão de sobrevivência e resiliência para as gerações presentes e futuras, para um distribuidor de materiais elétricos até empreiteiras e construtoras.

Em face desse imperativo, a construção sustentável surge como uma resposta vital, uma alternativa que transcende a mera inovação técnica, transformando-se em um compromisso moral e prático com a saúde do nosso planeta e os benefícios relacionados.

Redução das emissões de carbono

Na trajetória rumo à construção sustentável, a redução das emissões de carbono emerge como uma conquista essencial.

A mudança para fontes de energia renovável e práticas construtivas mais eficientes não apenas mitigam o impacto da construção civil no aquecimento global, mas também desenham um horizonte onde as estruturas construídas coexistem de maneira simbiótica com o ambiente.

Preservação de recursos naturais

Ao adotar práticas sustentáveis, a construção civil pode se tornar um guardião dos recursos naturais escassos.

Utilizando materiais ecoeficientes e promovendo técnicas construtivas que minimizam a exploração de matérias-primas, a indústria se alinha com a preservação de ecossistemas vitais.

Dessa forma, a construção não é mais vista como uma ameaça, mas como uma promotora da harmonia entre o homem e a natureza.

Melhoria da qualidade do ar

A transição para métodos construtivos sustentáveis não só reduz a pegada de carbono, mas também contribui significativamente para a melhoria da qualidade do ar. 

A escolha de materiais de construção menos poluentes e a adoção de estratégias que minimizam a liberação de substâncias tóxicas têm um impacto positivo na saúde humana e no equilíbrio ecossistêmico.

Minimização dos resíduos

A minimização dos resíduos na construção civil, acompanhada da instalação de câmeras de segurança, por exemplo, representa não apenas uma economia de recursos, mas um compromisso com a gestão responsável dos detritos sólidos.

Ao adotar práticas que reduzem o desperdício de materiais durante a construção e incentivam a reutilização, a indústria não apenas alivia a pressão sobre os aterros, mas também ressignifica o conceito de eficiência na construção.

Os benefícios diretos e indiretos das práticas sustentáveis na construção civil não são apenas medidas isoladas, mas elos interconectados de uma cadeia de eventos que reverberam no ambiente.

Ao abraçar essas práticas, a construção civil não apenas edifica estruturas, mas constrói um legado de responsabilidade ambiental, onde cada tijolo assenta-se sobre a base sólida do compromisso com a preservação e regeneração do nosso planeta.

Técnicas sustentáveis reduzem impacto ambiental

A escolha de materiais ecoeficientes na construção civil não é meramente uma tendência, mas uma resposta consciente às demandas ambientais contemporâneas.

Projetos visionários, como o Bosco Verticale em Milão, destacam a aplicação prática desses materiais, promovendo não apenas a estética arquitetônica, mas também a sustentabilidade intrínseca.

Esses materiais, ao longo do ciclo de vida das edificações, minimizam a pegada ecológica, ressignificando o conceito de construção além da sua utilidade imediata.

Métodos de construção de baixo impacto

A eficiência não está apenas nos resultados, mas também nos métodos adotados. A construção de baixo impacto, exemplificada pelo método de construção em aço modular utilizado no edifício The Edge, em Amsterdã, transcende a mera ergonomia.

Essa abordagem inovadora não apenas reduz o tempo de construção, mas também minimiza os resíduos gerados, representando um avanço significativo rumo a práticas construtivas mais sustentáveis.

Implementação de design para eficiência energética

Os designs que priorizam a eficiência energética por meio da locação de ferramentas elétricas essenciais são o alicerce sobre o qual repousa a sustentabilidade na construção civil.

Projetos como o One Central Park em Sydney, Austrália, com sua fachada verde e sistemas integrados de captação de energia solar, não são apenas visões arquitetônicas futuristas, são manifestações tangíveis de como o design inteligente pode ser uma força transformadora.

A implementação desses designs não apenas reduz os custos operacionais a longo prazo, mas também atua como um catalisador para a preservação de recursos e a mitigação do impacto ambiental global.

Contextualização em projetos reais e impacto ambiental

Ao contextualizar essas técnicas inovadoras em projetos reais, é possível perceber como a construção civil está, efetivamente, moldando o futuro ambiental, mesmo que isso exija, por exemplo, o aluguel de betoneira com melhor eficácia do mercado.

Projetos emblemáticos não são apenas estruturas isoladas, são narrativas tangíveis de como a indústria está adotando práticas sustentáveis.

As técnicas construtivas, ao serem incorporadas em projetos de grande envergadura, não apenas testemunham, mas impulsionam a transformação da construção civil em uma força positiva e sustentável para o meio ambiente.

Contribuição para a redução do impacto ambiental

No cerne dessas técnicas construtivas sustentáveis está a promessa de uma redução substancial do impacto ambiental ao longo do ciclo de vida das edificações, a partir do levantamento planialtimétrico do terreno até a devida entrega das chaves.

Conforme os materiais ecoeficientes, métodos de construção de baixo impacto e designs eficientes se tornam a norma, a construção civil não apenas constrói estruturas, mas erige pilares para um futuro onde o equilíbrio entre a criação humana e a natureza é alcançado.

Estamos testemunhando não apenas a construção de edifícios, mas a construção de um legado sustentável que transcende as fronteiras do concreto e do aço.

Responsabilidade do impacto ambiental na construção civil

A indústria da construção civil passa por uma revolução imperativa – a da responsabilidade ambiental. Esta transformação vai além da conformidade regulatória, é um reconhecimento consciente da interdependência entre as ações da indústria e a saúde do planeta.

A responsabilidade ambiental na construção não é mais uma opção, é um imperativo moral e prático que permeia todas as fases do processo construtivo.

No epicentro dessa mudança estão os profissionais da construção civil, cujo papel transcende o de simples construtores para se tornarem agentes de mudança.

Arquitetos, engenheiros, empreiteiros e todos os envolvidos no processo construtivo, como uma empresa de limpeza terceirizada, desempenham um papel crucial na promoção de práticas sustentáveis.

É através de suas decisões e escolhas diárias que a construção civil pode se tornar uma força positiva na preservação do meio ambiente. A responsabilidade ambiental exige uma visão além do imediato.

Os profissionais da construção devem transcender a mentalidade de benefícios instantâneos e considerar os impactos a longo prazo de suas decisões.

Cada escolha, desde a seleção de materiais até a implementação de técnicas construtivas, não deve ser apenas avaliada por sua conveniência imediata, mas pelo legado que deixa para as futuras gerações.

A responsabilidade ambiental na indústria da construção não é uma limitação, mas uma oportunidade de liderar a transformação para um futuro mais sustentável.

Cada tijolo ou janela de vidro sob medida instalada, cada decisão tomada, carrega consigo a responsabilidade de moldar um legado de respeito pelo meio ambiente.

Os profissionais da construção civil têm o poder de influenciar não apenas estruturas físicas, mas também a narrativa da construção como uma força que restaura e preserva, em vez de explorar e degradar.

Conclusão

A construção sustentável não é apenas uma opção ética, mas uma necessidade premente para enfrentar os desafios ambientais que nosso planeta enfrenta.

Ao focarmos em estratégias que reduzem o impacto ambiental, não apenas garantimos a preservação dos recursos naturais para as gerações futuras, mas também pavimentamos o caminho para uma coexistência mais harmoniosa entre o homem e a natureza.

A responsabilidade recai sobre cada um de nós, seja como profissionais da construção, consumidores ou cidadãos conscientes, para promover e apoiar a transição para práticas mais sustentáveis, assim todos contribuem para a construção de um futuro mais resiliente e equilibrado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, em parceria com o site Oh Elsa, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade